Progredir Espiritualmente

Nesta edição que é marcada por mais um aniversário da Revista Progredir não posso deixar, antes de tudo, de dar os Parabéns à Equipa pela concepção e materialização do projecto e por tudo aquilo que representam para as pessoas que têm a oportunidade de usufruir desta revista mensalmente.

Para a Progredir, desejo uma vida longa e feliz e acima de tudo que continuem a contribuir, através dos princípios que estão na base das escolhas dos temas que abordam, para continuar a fazer a diferença proporcionado uma oportunidade para a tomada de consciência dos seus leitores.

Será que temos como saber se estamos a progredir espiritualmente?A partir do lugar de onde estamos a nossa visão e entendimento é extremamente reduzida e numa fase inicial destinada ao engano.  Continuamos a ver a vida através de uma lente alimentada e comandada pela nossa mente que não nos permite ver as coisas como elas são.

Não podemos esquecer que a nossa visão do mundo é a partir da Terra sendo esse o lugar a partir do qual temos o nosso ponto de observação.  

Qualquer ser humano diz que vai ver o pôr do sol, mas na realidade o sol não se põe nem nasce. É a terra através do seu movimento de rotação que se “abre” e “fecha” à luz do sol! Continuamos a ver o exterior a partir dum modelo totalmente egocêntrico que nos cria uma visão da realidade enganadora e que provoca uma grande alienação espiritual fazendo-nos acreditar que somos vítimas ou dependentes do que acontece no exterior de nós e que a nossa evolução depende da nossa sorte exterior.

A possibilidade de evoluirmos e progredirmos espiritualmente está dependente de tomarmos consciência que precisamos de reaprender a viver exactamente ao contrário.

Tudo o que acontece na nossa vida é criado por nós com o objetivo de contatarmos com a informação que está guardada, registada e aprisionada dentro de nós por memórias e condicionamentos de outras vidas, por memórias e condicionamentos transmitidos de geração em geração na nossa família de origem, por memórias e condicionamentos vividos na nossa vida útil desde a infância até agora.

Essa informação é representada pelo nosso inconsciente que conta com cerca de 90% do que somos. Os restantes 10% são representados por 9% de pré-consciente (a nossa cesta mental que guarda a informação útil e necessária para sabermos viver de forma adequada) e apenas 1% de consciente.

Leu bem! Apenas 1% do que somos é consciente. Esta percentagem é absolutamente reveladora do que precisamos de fazer e da mudança de paradigma que é urgente acontecer na sociedade para que seja possível progredir espiritualmente.

Se apenas 1% do que somos é consciente como poderemos acreditar que o que acontece na nossa vida de bom ou de menos bom é determinado pela nossa vontade consciente? Será possível que 1% seja mais forte e determinante que os restantes 99%?

A reposta é bastante óbvia. Naturalmente que os acontecimentos da nossa vida e a bibliografia que vamos construindo só podem ser influenciados e determinada por esta força maior que é o nosso inconsciente.

Como é muito difícil para a mente contactar com a dor, por medo, por defesa, por auto preservação, por incapacidade de aceder a esses conteúdos inconscientes, a única forma que temos de progredir e evoluir espiritualmente é recriar a nossa realidade interior na realidade exterior, criando condições para materializar os eventos e circunstâncias que precisamos de contactar, reconhecer, apaziguar e sublimar do nosso inconsciente pessoal e coletivo.

É a nossa oportunidade de resolver e aprender a lição.

Nestas circunstâncias, as pessoas serão atraídas por nós como um íman e empoderadas pelo nosso inconsciente a desempenhar um determinado papel, que precisamos de reviver e dar significado emocional, para que a tomada de consciência do padrão e dessa co-criação possa curar e libertar a energia que foi guardada e reprimida no passado.

Todas as vezes que no passado vivemos essa experiência e ficámos tomados ou possuídos por essa experiência, ela acumulou no inconsciente uma energia de tensão que precisa ser liberta.  

Uma das formas de libertar essa tensão, é voltar a criar condições semelhantes às vividas para que a carga emocional volte a ser ativada. A progressão espiritual acontece quando conseguimos reconhecer o convite da experiência emocional e deixamos de nos identificar com ela, ou quando transformarmos essa carga emocional em consciência.

Só com esta tomada de consciência e de responsabilidade será possível deixarmos de reagir e nos tornarmos observadores da nossa vida e co-criadores responsáveis da nossa realidade.

Só assumindo a responsabilidade por inteiro de TUDO o que acontece na nossa vida, seremos seres espirituais com uma curta experiência terrena. A nossa progressão espiritual depende desta tomada de consciência, que nos leva a esta mudança profunda de paradigma. A magia e a possibilidade de expansão do nosso lado consciente está em todo o lado, quando nos assumimos como autores e responsáveis da nossa vida.

Que neste ano de 2016 sejamos capazes de sermos observadores e viver com uma mente tranquila e o coração cheio de Amor!
 
Maria Gorjão Henriques
Revista Progredir